“As anotações sobre pintura do Monge Abóbora-Amarga”, de Pierre Ryckmans

“Por mais longe que se vá, por mais alto que se suba, é preciso começar por um simples passo.” (Xing Yuan deng gao). Máxima semelhante em Lao Zi: ‘Uma torre de nove andares eleva-se a partir de um montículo de terra; uma viagem de mil léguas começa a seus pés’.  Aqui esse primeiro passo é o Único Traço de Pincel considerado em seu aspecto concreto, isto é, um só, um simples traço de pincel com tudo o que a noção comporta de início como irrisoriamente fácil e elementar. Reencontramos aqui o paradoxo taoista que vê no mais superficial e mais imediato a verdadeira porta para os mistérios mais profundos. A chave de todas as dificuldades reside na humilde facilidade que os orgulhosos desdenham. ‘O sábio jamais empreende grandes coisas, o que lhe permite realizar algumas delas. Ele deslinda a dificuldade tomando-a por seu lado fácil, enfrenta os grandes empreendimentos a partir de seus ínfimos elementos’ (Lao Zi)”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s